sábado, setembro 25, 2010

Teenage Dream - Katy Perry

Já faz cerca de um mês que o álbum Teenage Dream foi lançado. E esse álbum veio pra confirmar o sucesso que se especulou depois do lançamento do primeiro single California Gurls.
Em primeiro lugar, Katy Parry mostrou-se foi muito sábia quando decidiu investir no ritmo musical que lhe deu notoriedade, o Pop. Pois, se seu álbum anterior, o One Of The Boys, tinha uma pegada mais Rock’n’Roll e só umas três músicas Pop, agora, em Teenage Dream, é justamente o contrário.
Outro momento que Katy Perry mostrou-se sábia foi quando chamou o mesmo produtor que produziu as músicas de sucesso do álbum antecessor, o Dr. Luke, mais outros produtores de peso, como Tricky Stewart e Max Martin.
Teenage Dream é um álbum que une muitos estilos, como Dance, Pop/Rock e até uma pitada de experimentalismo, mas nada é mais curioso do que as inspirações que Katy Perry disse ter buscado. São elas os cantores Prince, Cyndi Lauper e Alanis Morissette, as músicas Lovefool do The Cardigans e Into the Groove da Madonna, os grupos Ace of Base e ABBA e até o livro On the Road de Jack Kerouac e a personagem bíblica Ester.
Katy Perry é uma cantora com muito potencial e, depois de conferir o novo álbum dela, acredito que Katy Perry ainda tenha uma carreira respeitosa pela frente.
Destaque para Teenage Dream, Last Friday Night (T. G. I. F.), California Gurls, The One That Got Away e E. T.

P. S.: Katy Perry disse que a música California Gurls é como uma resposta para a música Empire State of Mind, de Jay-Z e Alicia Keys.

Por: Murilo Carlos Filho

segunda-feira, setembro 20, 2010

Get Outta My Way - Kylie

Não é nenhuma novidade que Aphrodite é um bom álbum e as chances dele chegar ao nível do sucesso de Fever são pelo menos consideráveis, basta que Kylie saiba divulgá-lo da melhor forma. O primeiro single, o All The Lovers, teve um clipe muito bom. Mas será que Get Outta My Way, o segundo single, também pode ser considerado tão bom quanto?
O vídeos mostra uma performance bastante dançante e elaborada em meio cenários abstratos que lembram uma boate. Os dançarinos são parte fundamental nesse vídeo e basicamente eles são a alma do clipe.
A fotografia e os figurinos de Kylie seriam os pontos fortes do vídeo se eles não fossem prejudicados pela direção de arte que não soube aliar esses elementos e isso resultou em imagens muito estranhas em muitos momentos, principalmente em relação às cores.
No fim, Get Outta My Way é um bom single e promete bons resultados, mas o vídeo poderia ter sido um pouco melhor e isso pode prejudicar o desempenho do single. Resta-nos esperar pelo o que está por vir, já que a era Aphrodite ainda está no começo.

P. S.: Antes de Kylie aceitar gravar Get Outta My Way, quatro artistas diferentes almejaram a canção.

Por : P. C. Carlos & Murilo Carlos Filho

sábado, setembro 18, 2010

Resident Evil: Afterlife - Paul W. S. Anderson

Desde que a franquia de filmes Resident Evil começou em 2002, muitas coisas mudaram. A principal delas foi o fato de a série ter começado no gênero “terror com pitadas de ação” passando pela “ação com pitadas de terror” e chegando no “ação pura” -. Muitos até ficam preocupados com o futuro da série, mas agora que Resident Evil: Afterlife chega aos cinemas, eles já podem ficar despreocupados, pois a intenção visível de Paul W. S. Anderson (diretor e roteirista dos filmes) com esse novo filme foi recuperar muitos “fatores” que foram se perdendo com o passar dos filmes.
Muitas coisas em Afterlife lembram ou fazem jus ao primeiro e o segundo filme da série, desde fatos na história (como por exemplo, Alice volta a ser humana) a cenas que quem assistiu aos filmes anteriores reconhece de cara.
Outro ponto questionável do filme é o roteiro. Desta vez parece que o roteiro foi mais bem pensado, pois a maioria dos fatos são ou vão sendo explicados. Porém, em contra partida, ainda existem aqueles “buracos” que deixam os espectadores com dúvidas. Como de onde saiu aquele mostro com um martelo gigante?
Como nos filmes anteriores, a trilha sonora é muito bem trabalhada e coerente com as cenas. Também é bom ver que a tecnologia 3D não é usada a toa, ou seja, o filme não é só aquelas cenas que alguém joga alguma coisa na direção na tela.
Bem... Em uma visão geral, o filme acaba agradando a diversos públicos, entre fãs, não fãs e simpatizantes. E é um filme que eu recomendo!

P. S.: Resident Evil: Afterlife foi filmado com a mesma câmera que foi filmado o filme Avatar. Considerado a melhor tecnologia para exibir o filme em 3D até agora.

Por: Murilo Carlos Filho

quinta-feira, setembro 16, 2010

As novas músicas da nova Wanessa



A cantora Wanessa – Ex- Camargo – tem se dedicado cada vez mais a música americana. Depois do sucesso estrondoso da música Fly (dueto com o rap per americano Ja Rule, retirada o álbum Meu Momento), Wanessa parece ter percebido que o sucesso para os cantores de pop do Brasil são os ritmos tipicamente americanos e as letras em inglês.

Logo depois que terminou de promover o bem-sucedido Meu Momento, caiu na internet quatro músicas novas de Wanessa. São elas Falling For You, Party Line, Worth It e Stuck On Repeat. Todas essas são canções eletrônicas prontas para agitar as pistas de dança e estarem ao topo das paradas de sucesso. Essas músicas também seguem a “formula do sucesso” assim como Fly. Agora é só esperar pelo efeito.

“Matar dois coelhos com uma cajadada só” descreve perfeitamente o feito de Wanessa pois, depois do seu Upgrade, além de se livrar da antiga imagem de filha-de-cantor-sertanejo, Wanessa tem ganhado cada vez mais destaque nas rádios daqui – o que já estava ficando raro para um cantor pop brasileiro – e ainda está plantando sementes para uma possível carreira internacional.

Por: Murilo Filho

quarta-feira, agosto 04, 2010

YottaAposta - 2010 MTV Video Music Awards


Vem chegando o VMA 2010 e hoje foi anunciado os nomeados, confira a aposta do YottaPop:

Video of the Year

* 30 Seconds to Mars — "Kings and Queens"
* B.o.B (featuring Hayley Williams) — "Airplanes"
* Eminem — "Not Afraid"
* Florence and the Machine — "Dog Days Are Over"
* Lady Gaga — "Bad Romance"
* Lady Gaga (featuring Beyoncé) — "Telephone"

Best Male Video


* B.o.B (featuring Hayley Williams) — "Airplanes"
* Jason Derülo — "In My Head"
* Drake — "Find Your Love"
* Eminem — "Not Afraid"
* Usher (featuring will.i.am) — "OMG"

Best Female Video


* Beyoncé (featuring Lady Gaga) — "Video Phone (Extended Remix)"
* Kesha — "Tik Tok"
* Lady Gaga — "Bad Romance"
* Katy Perry (featuring Snoop Dogg) — "California Gurls"
* Taylor Swift — "Fifteen"

Best New Artist

* Justin Bieber (featuring Ludacris) — "Baby"

* Broken Bells — "The Ghost Inside"
* Jason Derülo — "In My Head"
* Kesha — "Tik Tok"
* Nicki Minaj (featuring Sean Garrett) — "Massive Attack"

Best Pop Video

* B.o.B (featuring Bruno Mars) — "Nothin' on You"
* Beyoncé (featuring Lady Gaga) — "Video Phone (Extended Remix)"
* Kesha — "Tik Tok"
* Lady Gaga — "Bad Romance"
* Katy Perry (featuring Snoop Dogg) — "California Gurls"

Best Rock Video

* 30 Seconds to Mars — "Kings and Queens"
* Florence and the Machine — "Dog Days Are Over"
* MGMT — "Flash Delirium"
* Muse — "Uprising"
* Paramore — "Ignorance"

Best Hip-Hop Video

* B.o.B (featuring Hayley Williams) — "Airplanes"
* Drake (featuring Kanye West, Lil Wayne and Eminem) — "Forever"
* Eminem — "Not Afraid"
* Jay-Z (featuring Swizz Beatz) — "On to the Next One"
* Kid Cudi (featuring MGMT and Ratatat) — "Pursuit of Happiness"

Best Dance Music Video

* Cascada — "Evacuate the Dancefloor"
* David Guetta (featuring Akon) — "Sexy Chick"
* Enrique Iglesias (featuring Pitbull) — "I Like It" (Jersey Shore Version)
* Lady Gaga — "Bad Romance"
* Usher (featuring will.i.am) — "OMG"

Best Collaboration

* 3OH!3 (featuring Kesha) — "My First Kiss"
* Beyoncé (featuring Lady Gaga) — "Video Phone (Extended Remix)"
* B.o.B (featuring Hayley Williams) — "Airplanes"
* Jay-Z and Alicia Keys — "Empire State of Mind"
* Lady Gaga (featuring Beyoncé) — "Telephone"

Breakthrough Video

* Dan Black — "Symphonies"
* The Black Keys — "Tighten Up"
* Coldplay — "Strawberry Swing"
* Gorillaz (featuring Bobby Womack and Mos Def) — "Stylo"

Best Direction in a Video

* 30 Seconds to Mars — "Kings and Queens" (Director: Bartholomew Cubbins)
* Eminem — "Not Afraid" (Director: Rich Lee)
* Jay-Z and Alicia Keys — "Empire State of Mind" (Director: Hype Williams)
* Lady Gaga — "Bad Romance" (Director: Francis Lawrence)
* Pink — "Funhouse" (Director: Dave Meyers)

Best Choreography in a Video


* Beyoncé (featuring Lady Gaga) — "Video Phone (Extended Remix)" (Choreographers: Frank Gatson Jr., Phlex and Bryan Tanaka)
* Lady Gaga — "Bad Romance" (Choreographer: Laurie Ann Gibson)
* Lady Gaga (featuring Beyoncé) — "Telephone" (Choreographer: Laurie Ann Gibson)
* Janelle Monáe (featuring Big Boi) — "Tightrope" (Choreographers: Janelle Monáe and the Memphis Jookin Community)
* Usher (featuring will.i.am) — "OMG" (Choreographer: Aakomon “AJ” Jones)


Best Special Effects in a Video


* Dan Black — "Symphonies" (Special Effects: Corinne Bance and Axel D’Harcourt)
* Eminem — "Not Afraid" (Special Effects: Animaholics-VFX)
* Green Day — "21st Century Breakdown" (Special Effects: Laundry)
* Lady Gaga — "Bad Romance" (Special Effects: Skulley Effects VFX)
* Muse — "Uprising" (Special Effects: Humble TV, Sam Stephens)

Best Art Direction in a Video


* 30 Seconds to Mars — "Kings and Queens" (Art Director: Marc Benacerraf)
* Beyoncé (featuring Lady Gaga) — "Video Phone (Extended Remix)" (Art Director: Lenny Tso)
* Eminem — "Not Afraid" (Art Director: Ethan Tobman)
* Florence and the Machine — "Dog Days Are Over" (Art Directors: Louise Corcoran and Aldene Johnson)
* Lady Gaga — "Bad Romance" (Art Director: Charles Infante)


Best Editing in a Video

* Eminem — "Not Afraid" (Editor: Ken Mowe)

* Lady Gaga — "Bad Romance" (Editor: Jarrett Fijal)
* Miike Snow — "Animal" (Editor: Frank Macias)
* Pink — "Funhouse" (Editor: Chris Davis)
* Rihanna — "Rude Boy" (Editor: Clark Eddy)

Best Cinematography in a Video


* Eminem — "Not Afraid" (Director of Photography: Chris Probst)
* Florence and the Machine — "Dog Days Are Over" (Director of Photography: Adam Frisch)
* Jay-Z and Alicia Keys — "Empire State of Mind" (Director of Photography: John Perez)
* Lady Gaga — "Bad Romance" (Director of Photography: Thomas Kloss)
* Mumford & Sons — "Little Lion Man" (Director of Photography: Ben Magahy)

sexta-feira, julho 30, 2010

Alejandro - Lady Gaga

The Fame Moster não é um álbum com grandes single e Alejandro aparece mais como tapa buraco no vácuo da tão bem sucedida estréia para o 2º álbum de estúdio. E, como Lady Gaga já sabe, o remédio para singles fracos como Alejandro são videoclipes elaborados encarregados de elevá-los nas paradas de sucesso.
Em Alejandro, Lady Gaga interpreta uma mulher que sofre por causa dos homens, pois ao mesmo tempo em que ela os ama, ela os odeia. Há cenas de sexo e muitas coreografias, sendo a dança a linguagem mais presente e encarregada de transmitir mensagem contida da letra da música. As “cenas de narrativa” contam que Lady Gaga perde seu amado militar e depois de um momento de depressão ela segue para uma espécie de sacerdócio mas seu lípido fala mais alto.
Pela primeira vez, Lady Gaga de fato interpreta no vídeo as coisas que ela canta na música. Outro fato marcante são os figurinos que estão mais coesos ao invés de servirem apenas para chamar atenção. Esses dois fatos provam que Lady Gaga deva estar buscando uma auto imagem mais artística do que polêmica.
No geral, Alejandro é um bom vídeo, mas não será o suficiente para salvar esse single do fracasso, se comparado aos ouros single dela.

P. S.: O diretor do vídeo, Steven Klein, é, na verdade, fotografo e empresário da cantora Madonna.

Por: P. C. Carlos

sexta-feira, julho 16, 2010

YottaAposta - MTV Video Music Brasil 2010

O VMB 2010 vai acontecer no dia 16 de setembro de 2010. E hoje (16 de julho de 2010), foi anunciado os indicados e, como de praxe, o YottaPop faz suas apostas. Veja:

Artista Do Ano
*Otto
*Fresno
*Restart
*Nx Zero
*Sandy
*Pitty
*Mallu Magalhães
*Capital Inicial
*Skank
*Arnaldo Antunes

Clipe Do Ano
*Skank – Noites De Um Verão Qualquer
*Mombojó – Pa Pa Pa
*Nx Zero – Só Rezo
*Mallu Magalhães – Shine Yellow
*Marcelo D2 (C/ Zuzuca Poderosa E Dj Nuts) – Meu Tambor
*Capital Inicial – Depois Da Meia-Noite
*Vespas Mandarinas – Sem Nome
*Diogo Nogueira – Tô Fazendo A Minha Parte
*Restart – Recomeçar
*Cine – A Usurpadora

Show Do Ano
*Otto
*Pitty
*Arnaldo Antunes
*Capital Inicial
*Nx Zero

Hit Do Ano
*Restart – Levo Comigo
*Nx Zero – Só Rezo
*Skank – Noites De Um Verão Qualquer
*Sandy – Pés Cansados
*Pitty – Fracasso

Revelação

*Restart

*Hori
*Hevo 84
*Replace
*Karina Buhr

Aposta
*Flora Matos
*The Name
*Apanhador Só
*Unidade Imaginária
*Thiago Petit

Aposta Internacional
*Janelle Monáe
*Darwin Deez
*School Of Seven Bells
*Big K.R.I.T.
*Toro Y Moi

Rock

*Pitty
*Capital Inicial
*Glória
*Nx Zero
*Strike

Pop
*Mallu Magalhães
*Sandy
*Fresno
*Lulu Santos
*Restart

MPB
*Otto
*Diogo Nogueira
*Céu
*Cidadão Instigado
*Lucas Santtana

Rap

*Kamau
*Ogi
*Rincon Sapiência
*Lurdez Da Luz
*MV Bill

Música Eletrônica

*Gui Boratto
*Killer on the Dancefloor
*Zemaria
*Database
*Boss In Drama

Artista Internacional

*Paramore
*Black Eyed Peas
*Green Day
*Justin Bieber
*Tokio Hotel
*Jay-Z
*Ke$Ha
*Katy Perry
*Lady Gaga
*Beyoncé

Webstar
*PC Siqueira
*Felipe Neto
*Mystery Guitar Man
*Katylene
*O Criador

Webhit
*Cala Boca Galvão - Save Galvao Birds Campaign
*Justin Biba - Paródia Justin Bieber (Música Baby)
*Puta Falta de Sacanagem
*Zeca Camargo Bocejando no Fantástico (06/06/2010)
*Dunga Em Um Dia De Fúria!

quinta-feira, julho 15, 2010

Aphrodite - Kylie Minogue

Kylie Minogue está de volta ao cenário musical com seu 11º álbum de inéditas, de nome Aphrodite. Desde seu último álbum de inéditas, o X (2007), as coisas não mudaram muito.
Posso até arriscar dizer que Kylie não trouxe nada de novo à sua própria imagem como cantora. Já que desde o álbum Light Years, Kylie Minogue limita-se a lançar álbuns que mais parecem uma playlist de um DJ. E com Aphrodite não foi diferente.
O álbum conta com fortes batidas eletrônicas e não há se quer uma música lenta, conhecida como balada. Fazendo de Aphrodite um ótimo álbum pra agitar as pistas ao redor do mundo.
A coisa mais bem feita do álbum é o tema, pois, como o nome sugere, todas as músicas falam de amor. E essa conhecidência de temas não se viu nos últimos álbuns da cantora.
Destaque para All the Lovers, Get Out Of My Way, Everything Is Beautiful, Aphrodite, Illusion, Cupid Boy, Can’t Beat the Feeling.

P. S.: Com Aphrodite, Kylie Minogue torna-se a única cantora a ter álbuns em #1 durante 4 décadas diferente: 1980, 1990, 2000 e 2010.

Por: Murilo Carlos Filho

quinta-feira, julho 08, 2010

Memphis Blues - Cyndi Lauper

Arriscado. È com essa palavra que eu defino o novo álbum de Cyndi Lauper, o Memphis Blues. Depois da prova de que a música eletrônica é o estilo que pode salvar Lauper do esquecimento, ela preferiu a lançar um álbum de música Blues do que algo dentro do eixo Pop-Eletrônico. E isso é, no mínimo, arriscado.
Claro que Cyndi Lauper não é tão burra quanto parece. Pois, embora Memphis Blues seja arriscado quando falamos de uma artista conhecida no mundo inteiro, o público americano simplesmente adora esse tipo de música. Principalmente quando esse é um álbum de Blues autentico e não um Blues barato ou reinventado, por exemplo.
Outro ponto negativo do álbum é o fato das músicas serem repetitivas, sem muita diferença nos arranjos e/ou vocais. Mas como esse é um álbum especial – pois Cyndi Lauper não canta Blues efetivamente – ela pode ser perdoada por esse erro.
Apesar de tudo, Memphis Blues é um forte candidato a prêmios e com certeza atingirá relevantes posições nos charts (principalmente os norte americanos). Afinal, Cyndi Lauper sempre é Cyndi Lauper.
Destaque para Just Your Fool, Early In The Morning e Crossroads.

Por: Murilo Carlos Filho

terça-feira, junho 29, 2010

Can't Be Tamed - Miley Cyrus

Depois de ser vista como a “sensação infantil da America”, Miley Cyrus resolveu chutar o pau da barraca de uma vez e dar adeus a Hannah Montana que havia no seu interior e dar lugar a uma Miley Cyrus rebelde e sensual como você nunca viu antes.
Em seu novo álbum, o Can’t Be Tamed, Miley Cyrus esqueceu completamente os instrumentos acústicos que antigamente faziam parte de seus álbuns, que, por sinal, tinham uma carga de rock’n’roll muito pesada, porém, tinham um teor pra lá de doce. Agora as batidas eletrônicas ganham destaque e seu som fica mais ácido do que nunca. Contraditório? Mas é verdade.
A intenção de Miley Cyrus de se livrar da velha imagem de Hannah Montana é descarada. A Julgar tanto pelas letras de suas novas músicas, quanto pelo vídeo do primeiro single (também chamada I Can’t Be Tamed). Nele a cantora interpreta um ser estranho (semelhante a uma Harpia) em exposição dentro de uma jaula para a alta sociedade, causando espanto em todas que a veem. Miley usa roupas extravagantes em cenas repletas de sensualidade que antes não se via em seus vídeos.
Em uma visão geral, podemos ver todo esse processo como uma evolução de Miley Cyrus como cantora, aliás, não cairia bem pra ela bancar rainha dos baixinhos da América.
Destaque para Liberty Walk, Who Owns My Heart, I Can't Be Tamed, Two More Lonely People, Permanent December e Robot.

P. S.: Miley Cyrus afirma ter se inspirado em Britney Spears e Lady Gaga para sua nova fase.

Por: Murilo Carlos Filho

quinta-feira, junho 10, 2010

Bionic - Christina Aguilera


Christina Aguilera ficou famosa entre seus fãs por aparecer de 4 em 4 anos e não que seja exagero, mas é que conhecidentemente, ela realmente lança um novo álbum com essa média de período. E agora como já se passaram 4 anos desde o lançamento do 3º álbum dela (o Back To Basics), chegou a hora conhecer o aguardado Bionic.
È muito doloroso para eu dizer que Bionic não é o melhor de Christina Aguilera. A começar pelo fato de as músicas serem muito boas de ouvir, mas enjoam muito rápido, Além de Not Myself Tonight (1º single) ser uma música muito chocante para o público geral. Prova disso é que a música só chegou ao top 20 no Hot 100 da Billboard¹ e músicas que não sobem nas paradas são músicas que não fazem sucesso.
Em Bionic vemos uma Christina Aguilera muito diferente das outras facetas que ela já mostrou em álbuns anteriores - aliás, isso não é nenhuma novidade - e nesse álbum, a cantora assume um lado “eletrônico ao extremo”, e é justamente isso que leva o plúblico a ve-la como plagiadora, embora Christina Aguilera tenha aderido a esse lado desde 2008 com sua coletânia Keeps Getting Better: A Decade Of Hits. E mesmo com toda a mudança de estilo, ainda vemos muito da boa e velha Christina Aguilera e seus belos gritos que levam seus fãs ao delírio nas baladinhas, as vezes românticas as vezes não.
Mesmo com tantas as crítica negativas que o álbum vem recebendo, Bionic vem se dando bem tanto no quesito vendas quanto em posições nas paradas de sucesso. E outra qualidade desse álbum é a direção de arte que, aliás, Christina Aguilera sempre valoriza muito bem o lado artístico de seus álbuns.
Embora a péssima recepção da crítica para este álbum, acredito que Christina Aguilera conseguirá dar a volta por cima e fazer deste álbum um grande sucesso. Vale lembrar que Stripped² também teve uma recepção nada calorosa e é considerado hoje uma obra prima por muitos.
Destaque para Bionic, Not Myself Tonight, WooHoo, Elastic Love, Desnudate, Sex For Breakfast, You Lost Me e I Hate Boys.

P. S.: O album está disponível na versão conhecida como Standard (padrão ou normal) com 18 faixas, a versão conhecida com Deluxe (de luxo) com 23 faixas e ainda uma versão conhecida como Fan Edition (edição de fã) que além de um Bionic Deluxe vem um disco de vinil triplo do álbum e um pôster, tudo isso dentro de um estojo personalizado com o tema do álbum.


¹: Principal parada que traz as 100 músicas mais tocadas, mais vendidas e mais baixadas da semana. Essa parada musical encontra-se na revista Billboard, uma das maiores revistas sobre música.
²: 2o. álbum lançado pela cantora. Stripped chegou as lojas em 2002 e tem os maiores sucessos dela como Beautiful e Fighter.

Por: Murilo Carlos Filho

terça-feira, maio 25, 2010

Why Don’t You Love Me – Beyoncé

Somente depois de várias tentativas foi que Beyoncé conseguiu fazer outro clipe a altura de Single Ladies (Put a Ring On It). Inclusive, a VH1¹ divulgou recentemente uma lista dos piores clipes do século e Video Phone enquadrava-se como pior de todos. E agora, Why Don’t You Love Me vem pra provar que Beyoncé tem um lado artístico pra exibir além de sua voz e beleza.
O vídeo mostra um momento reflexivo de uma mulher (interpretada por Beyoncé) que parece ter sido rejeitada pelo seu grande amor. Momento esse que não deve ser comparado a um momento triste e sim a um momento de revolta e inconformismo.
O clipe é muito bem montado. A câmera com efeito que faz lembrar imagens antigas. Além dos figurinos e dos cenários que fortalecem a idéia do vídeo e da música em si, o que aumenta sua qualidade significantemente.
Se nos vídeos anteriores muitos efeitos e outros elementos eram exagerados, em Why Don’t You Love todos os detalhes contam e trazem um idéia contrária ao minimalismo de Single Ladies. Inclusive, acredite ou não, a maior ousadia de Beyoncé deve ter sido deixar o preto e branco de lado e explorar o universo da imagem colorida.
Muitas flores é o que Beyoncé merece pelo seu novo clipe e espero que o grande público consiga perceber o novo ar que I Am... Sasha Fierce recebeu.

P. S.: Melina dirigiu o vídeo ao lado da própria Beyoncé que, por sua vez, assina cmo Bee-Z.

¹: canal conhecido por ter vários programas voltados para a cultura pop.
²: diretora que já dirigiu diversos vídeos incluindo Diva, da própria Beyoncé.

Por: P. C. Carlos

sábado, maio 15, 2010

Manuscrito - Sandy

Pouco mais de 2 anos foi o tempo que Sandy precisou para pensar sobre seu primeiro álbum depois do fim da gloriosa dupla Sandy & Júnior. E agora, o Brasil conhece Manuscrito, o primeiro álbum solo de Sandy.
Sandy sempre demonstrou muita paciência e despreocupação quando se falava no “primeiro álbum solo”, o que foi muito sábio da parte dela. Pois ela pode até não ter percebido, mas Manuscrito com certeza foi um álbum muito aguardado, tanto pelo público quando pela crítica e o fato dela não se sentir pressionada, deve ter ajudado bastante a preparar melhor esse álbum.
Manuscrito não é um álbum ruim, mas o que parece é que os 17 anos de experiência de Sandy ao lado do irmão ficaram de lado quando Sandy faz desse um álbum muito semelhante aos últimos trabalhos dela na dita dupla, trabalhos esses que decretaram o fim da dupla pela falta do sucesso estrondoso que eles costumavam atingir. Mas erros a parte, Sandy foi também muito inteligente quando decidiu lançar um álbum Pop que cheira à MPB, tudo isso com cara de música Country, afinal MPB está no coração dos brasileiros e o Country esteve em alta nos últimos anos.
Outro fator interessante a ser reparado é a voz da Sandy, incontestavelmente linda, mas chega a irritar enquanto ela tenta mostrar uma voz suave até demais de forma excessiva e, aliás, onde estão os belíssimos agudos que ela costumava emitir nas músicas do Sandy & Júnior?
O primeiro single, Pés Cansados, é daquelas músicas que soam estranho na primeira ouvida, mas depois você se pega cantarolando a canção e não consegue mais tirar da cabeça por um tempo. E há nessa música uma mistura de Caetano Veloso com Taylor Swift, talvez por isso que soa estranho na primeira ouvida.
Bem... Manuscrito mostra uma Sandy que você já deve ter conhecido e se você é fã de música Pop de verdade, provavelmente esse álbum não vai te agradar muito.
Destaque para Pés Cansados, Ele/Ela, Dedilhada, Sem Jeito, Duras Pedras, Tão Comum e Esconderijo.

P. S.: A primeira remessa de CDs foi de 50 000, esse número é muito alto e raramente há um álbum que seja produzido em massa como esse, principalmente com a presença cada vez mais forte da pirataria e do download ilegal.

Por: Murilo Carlos Filho

domingo, maio 09, 2010

Comparações no mundo da música pop

A mania de comparar roupas, cabelo, maquiaguem dos artista do munda da música nunca foi uma raridade, mas depois da chegada de Lady Gaga nesse mundo, nunca esse ato foi tão frequente. E é ai que surgem algumas questões: vale a pena comparar os artistas? Quem realmente é original? Bem... Tirem suas prórias conclusões:


Madona na sua turnês Sticky & Sweet Tour (2008) e Britney Spears na sua turnê The Circus Tour: Starring Britney Spears (2009). Semelhança no figurino.

Christina Aguilera em foto para o encarte de seu CD Keeps Gettin' Better: A Decade Of Hits e Lady Gaga no vídeo clipe da música Just Dance. Semelhança entre a pose e as cores da roupa.

Eu não sei quem são os da imagem à esquerda, sei que a foto é de 2005 e a da direita é Lady Gaga no vídeo de Telephone (2010). Semelhança no ato de transformar a fita de insolamento em roupa.

Christina Aguilera em foto promocional (2006) e Lady Gaga no vídeo clipe da música Telephone (2010). Semelhança apenas no cabelo.

Christina Aguilera no video clipe da música Fighter (2003) e Lady Gaga em sua performance no Brit Awards (2010). Outra semelhança no cabelo estilizado.

Christina Aguilera no comercial de seu perfume (2007) e Lady Gaga no vídeo da música Bad Romance (2010). Semelhança nos ângulos.

Kylie em sua turnê Showgirl (2006), novamente Kylie agora na tunrê KylieX2008 e Lady Gaga no video de Telephone. Semelhança entre a roupa e o chapéu.

Lady Gaga em fotos promocionais (2008) e Kylie na capa do álbum Fever (2001). Semelhança na pose.

Madonna na turnê Sticky & Sweet (2008) e Kylie na Showgirl Tour (2006). Semelhança no ato de pular corda.


Kylie no video da música All I See (2008) e Madonna no vídeo da música Give It To Me (2008). Semelhança nos ângulos e nas cores do vídeo.

Kylie em fotos do encarte do álbum X (2007), Lady Gaga no vídeo de LoveGame (2009) e Britney Spears no vídeo da música Toxic (2004). Semelhança do cabelo e da maquiagem entre Kylie e Lady Gaga. Semelhança também entre a roupa e a cena em si dos vídeo Toxic e LoveGame.


Essas são só algumas comparações que provam que os artistam tanto copiam quanto são copiados.
OBS: Essas são imagens que eu encontrei na internet e não encontrei quem são os autores das montagens. Algumas eu fiz e outras eu apenas editei. Outras estão do jeito que eu encontrei, mas, de qualquer forma, agradeço pelas por todas elas.

Por: Murilo Carlos Filho

sexta-feira, abril 23, 2010

Alice in Wonderland - Tim Burton


A Walt Disney Pictures produziu em 1947 um filme chamado Alice in Wonderland (Alice no País das Maravílhas). Esse filme é uma animação baseadoa na história do livro de mesmo nome escrito por Lewis Carrol no ano de 1865. Agora, em 2010, a própria Walt Disney Pictures produziu mais um filme dando continuidade à clássica aventura de Alice. Esse filme também se chama Alice in Wonderland.
Ao contrário do que muitos pensam, Alice in Wonderland não é uma espécie de re-make do primeiro filme, muito menos a versão original da história, ou seja, uma versão mais sombria. Na verdade, o filme conta a volta de Alice ao lugar que ela mesma chama de Wonderland (País das Maravílhas) após 13 anos. E, se antes, Alice apenas descobria as “maravílhas” daquele país, agora ela descobre que tem a missão de derrotar um mostro, dando a coroa e volta a Rainha Branca. Alice conta com a ajuda dos velhos personagens que marcam essa história clássica, tais como o chapeleiro maluco, por exemplo.
Analisando termos técnicos, o roteiro é do tipo super manjado, onde percebemos o final já no meio do filme. A trilha sonora, embora não seja ousado tão quanto inovadora, cai como luva no filme. E é aquele tipo de trilha sonora que geralmente os filmes infantils da Disney adotam.
Quanto às personagens, nem todas são bem interpretados. A começar pela Alice, interpretada por Mia Wasikowska. Já Johnny Depp, embora interprete o chapeleiro maluco muito bem, não trouxe nada de novo como ator. Já vimos ele interpretar papeis de forma muito semelhante nos filmes Piratas do Caribe e Edward mãos de tesoura. Anne Hathaway surpreendeu no papel de Rainha Branca, embora ainda não esteja no seu melhor. Quanto às outras personagens, são bem interpretadas. Destaque para a interpretação de Helena Bonham Carter no papel de Rainha Vermelha.
Alice In Wonderland é um bom filme e eu recomendo que você vá ao cinema assisti-lo se você não tiver nada pra fazer. Caso contrário, acho que você não perderá nada esperando sair em DVD ou Blue-Ray.

P. S.: Esse filme começou a ser produzido em 2008 e só em 2010 pode ver a luz do dia.

Por: Murilo Carlos Filho

segunda-feira, abril 19, 2010

Qual o limite de um cantor pop?

Você consegue imaginar seus pais ou até mesmo seus avós cantando e dançando igual a Britney Spears e Justin Timberlake? Certamente, pessoas da faixa etária dos seus pais e avós não começariam uma carreira no auge dos seus 50 ou 60 anos, mas houve quem ousasse começar suas carreiras ainda na juventude e até hoje mantêm suas continuam na ativa.

O cantor Pince começou a cantar aos 20 anos no fim da década de 1970 e, desde então, praticamente todo ano lança um álbum novo. Hoje, com quase 52 anos de idade, Prince continua mostrando que tem fôlego pra muitos anos de carreira.

Madonna começou sua carreira no começo da década de 1980 quando tinha 25 anos. Hoje, com quase 53 anos de idade (corpinho de 30) e 27 de carreira, a diva continua lançando seus álbuns e se reinventando através dos anos, além de encarar suas grandiosas turnês com shows agendados no mundo todo.

Simon Le Bom, vocalista do grupo Duran Duran, começou a cantar no grupo no comecinho da década de 1980 e até hoje, mesmo estando com 52 anos, Simon Le Bom continua cantando no grupo, lançando novos álbuns e novas turnês com os mesmos parceiros.

Outro exemplo de persistência no mundo da música pop é a cantora e atriz Cyndi Lauper que começou sua carreira musical em 1980 em um grupo chamado Blue Angel. Exatamente em 1983, Cyndi Lauper lançou-se em carreira solo aos 30 anos e, hoje, com 56 anos, Cyndi Lauper nunca deixou de lado sua carreira, nem na música, nem no cinema. Embora não tenha o mesmo prestígio de antigamente.

A rainha da Disco Music, Donna Summer, iniciou sua carreira oficialmente no começo na década de 1970, continuou naquela rotina de lançar álbum e depois divulga-los até 1994. Depois disso, Donna Summer deu uma leve aliviada em sua carreira e, apenas em 2008, a rainha da Disco Music voltaria a velha rotina com 61 anos.

Cher começou a cantar muito cedo com seu marido em uma dupla chamada Sonny & Cher em meado da década de 1960, quando ela tinha apenas 18 anos. A dupla acabou em meados da década de 1970, mas Cher continuou com sua carreira solo até o ano de 2005, quando terminou o que seria sua turnê de despedida. Porém, em 2008 começou uma série intensa de shows e ainda deu continuidade a carreira no cinema que a cantora iniciou na década de 1980. Hoje, Cher está com 63 anos.

Aqui no Brasil, um grande exemplo de persistência é a cantora Fernanda Abreu que começou a cantar na banda Blizt em 1982 quando tinha pouco mais de 21 anos. Ela saiu do grupo e até hoje está em carreira solo, no auge dos seus quase 50 anos (apesar de não parecer).

Bom gente, acho que ainda pode dar tempo de alguns dos nossos pais realizarem o sonho de tornarem-se cantor, não acham?

Por: Murilo Carlos Filho

terça-feira, abril 13, 2010

The Singles Collection - Britney Spears


Há alguns meses atrás, Britney Spears lançou no mercado uma coletânea com seus grandes hits mais uma canção nova e inédita, chamada 3. Esse álbum e o The Singles Collection.
Com certeza esse deve ser o álbum mais “sem vontade” de Britney Spears. Pode-se chegar a essa conclusão se compararmos esse álbum à última coletânea lançada pela cantora, o My Properrogative: The Greatest Hits, que, além de quase todos os sucessos da diva, contou com três canções novas - embora algumas delas já fossem conhecidas do público por serem bônus track do álbum In The Zone - e um photoshoot excluviso para a capa e o encarte.
Já no The Singles Collection, há apenas uma música inédita, que, inclusive, foi produzida as pressas e o encarte é feitos com fotos dos videoclipes das músicas que estão na tracklist – tirando a nova, 3 -. Isso, em uma visão geral, não é tão ruim, pois deixa aquele clima de “relembrando minha carreira” na atmosfera do álbum. E isso é ótimo para uma coletânea que comemora 10 anos de carreira, mas é muito ruim quando você paga por algo que você já conhece, não é mesmo?
Quanto a inédita 3, é uma ótima música Pop/Dance eletro, perfeitamente bem produzida, embora não relembre nada na carreira de Britney Spears na letras, como é de costume das músicas inéditas dos álbuns de coletâneas de vários artistas. Já o videoclipe, não é o melhor de Britney Spears, é tipo abstrato, ou seja, sem roteiro. Apenas diversos cenários onde ela interpreta a canção, às vezes dançando às vezes não.
No fim, eu digo que só vale a pena comprar esse CD se você gosta das músicas de Britney Spears e não tem os álbuns dela.Ou se você é fã, é claro.
Destaque para a única inédita 3.

P. S. : Embora o nome do álbum signifique A coleção de singles, falta na tracklist alguns single que são considerados “fracassos” de Britey Spears.
P. P. S. : No encarte, há informações sobre os singles que estão na tracklist, e algumas dessas informações não correspondem à realidade. Por exemplo: lá diz que Circus foi #1 na Billboad Hot 100, sendo que essa música chegou apenas ao #3.

Por: Murilo Carlos Filho

quinta-feira, março 25, 2010

Carpe Diem - Belinda


Depois de sucessivos relançamentos do seu último álbum, chamado Utopía, Belinda se fantasia de boneca para seu novo disco, o Carpe Diem. Mais eletrônico que os seus outros dois álbuns, Carpe Diem não deixa completamente de lado a pose “Rock Girl” que Belinda sempre carregou nas costas e, embora Carpe Diem signifique algo como "viva o dia", não é esse tipo de coisa que o álbum deixa como implícito ou explícito.
Com certeza, esse é o álbum mais alternativo e, consequentemente, arriscado de Belinda. As músicas são repletas de sons e efeitos sonoros carregados de bizarrices, aliás, quase todas as músicas tem uns “na-na-na”, “yeah-yeah-yeah” ou “uh-uh-uh” estranhos que deixam todo o álbum estranho na primeira ouvida, mas com aquele Quê de “mesmo sendo estranho eu gosto”. A canção Lolita é um perfeito exemplo disso.
Um grande destaque de Carpe Diem são as músicas lentas com batidas eletrônicas e guitarras que se unem aos vocais meio roucos de Belinda, fazendo dessas músicas grandes candidatas a tornarem-se singles.
Um pequeno defeito do álbum é a ordem das músicas. Elas estão dispostas de forma que chega a irritar o ouvindo quando termina uma linda e doce canção e de repente começa outra canção ácida e áspera, daquelas levada pro rock’n’roll.
Destaque para Egoísta, Lolita, Cuida, Mi Religion, Wacko e Maldita Suerte.

P. S.: Na capa, Belinda está vestida semelhante à modelo da campanha da boneca Hello Kitty Meets. A concepção artística de Carpe Diem também se assemelha à da campanha citada.

Por: Murilo Carlos Filho

domingo, março 21, 2010

Christina Aguilera: ditadora das tendências Pop.

No mundo da música existem certas tendências que reinam por alguns anos e depois caem em desuso. Tendências essas que você, admirador de música, pode até não notar, mas elas existem e são ditas por uma cantora chamada Christina Aguilera.
Christina Aguilera surgiu em 1998 cantando a musica tema do filme Mulan, logo ela assinou contrato com a gravadora RCA. Seu primeiro álbum homônimo trazia um estilo semelhante ao de Britney Spears: música pop/r&b cheia de letras para os adolescentes ouvirem e se identificarem.
Até então, Christina Aguilera apenas seguiu a tendência do momento, principalmente depois de gravar um álbum natalino em 2000. Mas a coisa muda de figura em 2002, quando é lançado o álbum Stripped, que, como o nome sugere, mostra Christina Aguilera “nua”, ou seja, do jeito que ela realmente é, sem mascaras. Conhecidentemente – ou não -, alguns cantores da época começaram a tornar seus álbuns mais pessoais, é o caso de Madonna (com American Life) e de Britney Spears (com In The Zone). Além do fato do R&B, principal estilo de Stripped, ter tomado conta das rádios do mundo todo nas vozes de cantores como Beyoncé.
Christina Aguilera passou alguns longos meses de férias e, em 2006, lança Back To Basics, um álbum inspirado na música das décadas de 20, 30 e 40, ou seja, o Jazz, Blues e Soul são os grandes ritmos desse álbum. E novamente outra conhecidencia - ou não - vem a tona quando as cantoras Amy Whinehouse, Duffy e Grabriela Cilme começam a fazer sucesso com o mesmo estilo de Back To Basics. Interessante reparar que Amy Whinehouse já gravou um álbum em 2003, e ela só alcançou o sucesso depois de Back To Basics.
A nossa próxima conhecidencia vem em 2008 quando Christina Aguilera lança a coletânea Keeps Getting Better – A Decade Of Hits, que, embora seja uma coletânea, esse álbum traz um estilo Dance Music futurístico e logo Lady Gaga começa a emplacar seus primeiros sucessos com um estilo semelhante. Aqui há outro fato interessante: Lady Gaga lançou seu álbum no começo de 2008, mas só chegou ao sucesso depois de Keeps Gettin’ Better ver a luz do dia. Apareceram ainda outros grupos e cantores que deixaram seus estilos de lado para cantar uma música mais Dance Music, foi o caso de Black Eyed Peas (com The E. N. D.) e Shakira (com She Wolf).
Bom... Christina Aguilera parece que é sim a ditadora das tendências da música Pop. Ou pode ser que ela simplesmente saia na frente... Ou será que eu estou vendo – e ouvindo – coisas?

Por: Murilo Carlos Filho

sábado, março 13, 2010

Telephone - Lady Gaga


The Fame Monster é uma álbum de inéditas que foi anexado ao bem sucedido álbum de estréia de Lady Gaga, fazendo dele uma edição de luxo. A única música do desse novo álbum ao nível dos singles de debut de Lady Gaga é Bad Romance, as outras músicas deixam muito a desejar. E ontem foi lançado o vídeo de Telephone, segundo single de The Fame Monster. E justamente por não ser uma música ao nível de, por exemplo, Pocker Face, Lady Gaga deu uma solução plausível: um vídeo blockbuster, daqueles que todo mundo quer ver.
Como continuação do clipe Paparazzi, no vídeo Lady Gaga vai para prisão e, depois de solta, une-se a Beyoncé para um novo crime, colocar veneno nas refeições servidas por um restaurante, ou seja, uma assassinato em massa. Mas não é apenas a história que é semelhante entre Telephone e de Paparazzi, os figurinos bizarros, poses extravagantes e passos de dança esquisitos também são. Além da valorização do roteiro e da direção.
Ainda, Lady Gaga não se livrou de certas manias como suas referencias e inspirações – beirando o plágio – de outras cantoras pop como Kylie Minogue, o que deixa transparente que Lady Gaga ainda não está no seu melhor.
No geral, digamos se houvesse um duelo entre Telephone e seu “precessor” Paparazzi, Telephone perde feio. O que salva o vídeo é a direção de Jonas Akerlund e a participação de Beyoncé, que não combinou muito com o estilo do vídeo, mas dá um Quê a mais.
Uma solução saudável para Lady Gaga seria visar os clipes abstratos como Bad Romance e Just Dance, sem grandes roteiros onde os que assistem tem que quebrar a cabeça tentando entender os roteiros de Lady Gaga. Melhor do que ficar tentando, inutilmente, fazer um Thriller do século XXI.

P. S.: O carro que aparece no vídeo é o mesmo do filme Kill Bill vol. 1, conhecida como Pussy Wagon.

Por: P. C. Carlos

segunda-feira, março 08, 2010

Gypsy - Shakira

No finalzinho de fevereiro, Shakira lançou seu vídeo clipe do seu mais recente single chamado Gypsy. O single foi tirado do álbum She Wolf.

O vídeo é do tipo que eu chamo de abstrato, ou seja, daqueles que não tem muita história, apenas o cantor a interpretar a música em diversos - ou não – cenários. No caso de Gypsy, ele pode ser interpretado como uma mulher (interpretada por Shakira) que vaga por ai tentando esquecer uma paixão até que ela encontra um homem que pode ser sua nova paixão (interpretado pelo tenista Rafael Nadal).

Como de costume, o vídeo trás uma direção de arte de gosto extremamente duvidoso, coisa mais do que típica dessa cantora, que sempre insiste em fazer parte de praticamente tudo que envolve o vídeo, desde o do roteiro até a edição final, dando sempre seu toque no vídeo.

No fim das contas, Gypsy é um vídeo comum, que nem fede nem cheira, não acrescenta nem diminui. Mas vale a pena conferir.


P. S.: A música Gypsy ganhou uma versão em Espanhol chamada Gitana.

Por: Murilo Carlos Filho

sábado, fevereiro 27, 2010

Quem é a Princesa do Pop?

Quando iniciou sua carreira musical em 1987, Kylie Minogue era frequentemente comparada a Madonna, embora não houvesse muito o que comparar. Aos poucos, Kylie Minogue começou a ser apelidada de Princesa do Pop, isso graças aos seus sucessos, sua fama e suas vendas que não chegam a ser tão altas quanto do Rei e da Rainha do Pop Michael Jackson e Madonna, respectivamente, mas deu pro gasto.
Já em 1999, a cantora da vez era Britney Spears, uma então adolescente cantando para adolescentes. Britney Spears era uma cópia de Michael Jackson, ou seja, cantora Pop inclinada pro R&B, fazendo shows super encenados com muita dança e pouca música ao vivo. Logo a adolescente virou mulher e ganhou ascensão, levou sua música para um lado mais ousado e também começou a ser apelidada de Princesa do Pop.
Mas afinal, quem é a Princesa do Pop? Embora não aja um padrão para ser a dita cuja, vamos analisar:


Fama
Com certeza Britney Spears é mais conhecida mundialmente que Kylie Minogue. Dizer “eu não conheço Britney Spears” só é válido se você morar em um interior que se quer tenha televisão. Agora se você diz que não conhece Kylie Minogue, é provável que todos entendam. Isso acontece pelo fato de Britney Spears fazer parte do mercado fanografico americano e Kylie Minogue do mercado fanografico europeu, como o americano é mais abrangente, Britney Spears torna-se mais conhecida.

Status
Kylie Mingoue possui 20 anos de carreira e 10 álbuns de estúdio lançados. Já Britney Spears tem apenas 10 anos de carreira e 6 álbuns de estúdio lançados, ou seja, praticamente metade dos status de Kylie Minogue, e isso conta em algo como experiência.

Vendas
As duas estão com suas vendas de álbuns na casa dos 60 milhões. Porém, é bom lembrar que Britney Spears vendeu seus 60 milhões em apenas 10 anos de carreira enquanto Kylie Minogue demorou 20 anos para vender o mesmo tanto.

Shows
As duas fazem turnês mundias de ótima qualidade, mas as turnês de Kylie Minogue tem sido mais lucrativas que as turnês de Britney Spears, embora Britney Spears chame mais atenção com suas turnês.

Sucessos
O maior sucesso de Brintey Spears foi Toxic, que vendeu pouco mais de 5 milhões de singles, foi a música mais executada de 2004 e atingiu a 9º posição na Billboard. Já Can't Get You Out Of My Head foi o maior sucesso de Kylie Minogue, vendeu 6 milhões de singles e,icou em #1 em mais de 40 países e ainda atingiu a 7ª posição da Billboard...


Enfim, decidir quem é a Princesa do Pop é uma tarefa um tanto difícil que cabe a nós, fãs da Pop Music. Eu, que não gosto de ficar em cima do muro, prefiro Kylie Mingoue como Princesa. E você, o que acha?

Por: Murilo Carlos Filho