segunda-feira, março 28, 2011

Femme Fatale - Britney Spears


Bem... Nós já estamos um tanto cansados disso, mas tenho que dizer (ou melhor, escrever) mais uma vez: Britney está de volta! E tem mais, a promessa do melhor álbum da queridinha da América está no ar, mas quem liga? Afinal, Britney Spears não precisa de apresentações.
Femme Fatale tem uma particularidade interessante, pois traz uma sonoridade que parece ter sido bastante elaborada, mas não vamos muito longe e o resultado é o mergulho de Britney Spears na levada Eletro/Dance do momento. Porém, é importante ressaltar que, embora tenha sido produzido pelos americanos Max Martin e Dr. Luke, esse é um álbum de Dance Music autêntico, e não o Dance barato feito por Lady Gaga.
Um pequeno – na verdade, mínimo – defeito é o fato da voz de Britney Spears estar repleta de efeitos, como a voz dela já parece ter efeito por natureza (assim como a de Kylie Minogue), Britney Spears deveria ter optado por deixar essa “ferramenta” da música eletrônica de lado (assim como nos álbuns de Kylie Minogue).
Outro ponto fraco do álbum é o visual, mais uma vez nos deparamos com conceito estético fraco que já é de costume em quase todos os álbuns de Britney Spears, excluindo somente Blackout e Circus.
Ao final das contas, Femme Fatale não deve ser considerado o melhor álbum de Britney Spears – como todos os últimos vem sendo -, mas devo admitir que chegou muito perto. E que isso não seja lido como um defeito e sim como a Diva que agora sabe entregar seu corpo, sua alma e seu coração nos próprios álbuns. Go Britney!
Destaque para Hold It Against Me, Till The World Ends, Inside Out, I Wanna Go, (Drop Dead) Beautiful e Big Fat Bass.

P. S.: Nesse álbum grande parte dos produtores já trabalhou com Britney anteriormente, é o caso de Max Martin, Darkchild e Bloodshy. Há ainda colaboradores famosos, é o caso de Ke$ha (que escreveu Till The World Ends) e Will.I.Am (que escreveu e produziu Big Fat Bass).

Por: Murilo Carlos Filho

Nenhum comentário: